sábado, abril 11, 2015

Pelos Caminhos de Portugal #1 - Açores

#1 - Ilha de São Miguel - Açores

Enquanto isto ainda está fresquinho na memória, enquanto ainda sinto o pulsar da natureza e o sotaque açoriano, faço aqui um "pequeno post" sobre a Ilha de São Miguel.

Após mais de 1100 fotografias em três dias, não vai ser fácil resumir a beleza incontornável daquela ilha, a simpatia das gentes, e as paisagens de cortar a respiração, mas vou tentar.

Os que têm o prazer de conhecer a ilha, podem aqui relembrá-la. Os que ainda não conhecem, podem acabar de ler e ir fazer uma reserva, para ontem!

A Ryanair e a Easyjet já voam para Ponta Delgada, com preços bastante acessíveis. A própria TAP decidiu reduzir as suas tarifas, para acompanhar a concorrência das companhias low cost. Por isso, já não há desculpa para não conhecer este paraíso.

A melhor forma de conhecer a ilha, é alugar carro e, com a ajuda de um mapa, partir à descoberta.

A ilha é riquísima em paisagens e recursos naturais, gastronomia variada e de qualidade, e apesar da calmia aparente há muito para fazer.





Eu fui apenas três dias, mas aconselho pelo menos mais um dia ou dois. Ficaram alguns sítios por visitar, com muita pena minha.


1º DIA
Dedicado ao extremo ocidental da ilha. Começámos o passeio por uma paragem na Lagoa do Canário, tendo uma perspectiva maravilhosa da Lagoa das Sete Cidades (maior reservatório de água doce dos Açores).












A partir dessa estrada é continuar a percorrer os vários miradouros (parar em todos), para depois descer até à ponte que cruza ambas lagoas.

Deste miradouro, por exemplo, é possível ver toda a caldeira das Sete Cidades: a Lagoa azul e Lagoa verde, separadas pela ponte do Rego.








Daí partimos para o Pico das Camarinhas e Ponta da Ferraria, onde estão as termas de água salgada com a água a temperaturas que variam dos 18º aos 28º C. Aconselho vivamente um mergulho nestas águas.









Restaurantes 1º dia: Cais 20 em Ponta Delgada, São Roque, mesmo junto ao mar (óptimo para os experimentar petiscos, morcelas e chouriços, queijos, lapas, inhame, etc. ) e O Galego em também em São Roque (uma casa de bifes muito apreciada).







2º DIA
Começámos o dia no Mercado da Graça. Não sendo um mercado extraordinário, vale a pena visitar para conhecer os produtos locais (ananás, batata doce, inhame, anonas). Junto ao mercado está a loja "O Rei dos Queijos" e nessa sim, dá vontade de trazer de tudo: dos licores aos queijos e manteigas, do pão ao chá da Gorreana, das queijadas aos doces. Apetece comprar tudo, mas cuidado com a passagem desses produtos no aeroporto, se só levarem bagagem de mão. As embalagens de doces e manteigas terão de ir na bagagem de porão.

Mercado de Ponta Delgada:







Rei dos Queijos:












Apesar de estar a chover, viajámos em direcção à Lagoa das Furnas para visitar o local onde é feito o célebre cozido das Furnas, o qual permance cerca de seis horas debaixo de terra até estar pronto. O parque atualmente é pago (0.50€ p.pessoa) e os cozidos são retirados até às 12.30h.









O almoço foi no Restaurante Miroma, mesmo na aldeia das Furnas. Vale a pena experimentar, apesar de não ser nada de extraordinário, nem muito diferente daquilo a que estamos habituados no continente. Vale mais pela forma como foi cozinhado do que pelo sabor em si, mas mesmo assim recomendo a experiência.






Da parte da tarde, o sol deu o ar da sua graça pelo que demos uma volta pela freguesia e subimos ao Miradouro do Salto do Cavalo e do Pico do Ferro, ambos com vistas fantásticas sobre a Lagoa das Furnas.




Mais ao final da tarde, fomos visitar o Parque Terra Nostra. Um jardim bicentenário, com vegetação variada e recantos lindíssimos. Uma perdição para quem gosta de fotografar. Para além disso, é possível mergulhar no tanque de águas termais. A água está entre os 35º e os 40ºC, carregada de minerais essenciais, dá uma sensação de relaxamento absoluto num cenário idílico. A água é cor de terra (devido ao ferro), pelo que aconselho ao uso de um fato de banho já velho e escuro.












Restaurantes 2º Dia:
O Miroma- cozido das Furnas.
Monte Verde- restaurante só de peixe na Ribeira Grande.


3º DIA
Dirigimo-nos desde cedo à Lagoa do Fogo, até porque o céu estava azul, o que prometia fotos e vistas fantásticas. Num dos miradouros existe um trilho pelo qual é possível descer pela caldeira até à Lagoa, e foi o que fizémos. Do miradouro a vista é de cortar a respiração, mas lá em baixo o silêncio é arrebatador, apenas se ouvem as rãs...









Depois de subir a caldeira, fomos novamente a banhos, desta vez, na Caldeira Velha.  A entrada é paga, mas isso não afasta os visitantes. Trata-se de uma ribeira alimentada por nascentes de água quente de origem termal que caem formando cascatas. A água encontra-se a 38ºC, pelo que mesmo que esteja frio cá fora, dentro de água é um consolo.






No regresso a Ponta Delgada o almoço foi no Restaurante Aliança, junto à Câmara Municipal, perto das portas da cidade, onde provámos o delicioso bife Lagarto.





Alojamento: fiquei num alojamento particular, e parece que cada vez há mais essa possibilidade. Apesar do apartamento ser o suficiente para o que queríamos e de estar tudo com muito asseio, tinha a desvantagem de estar demasiado perto do aeroporto, o que tornou o descanso complicado com o barulho dos aviões.

Metereologia: Uma inconstante na ilha. Tão depressa faz sol, como o vento começa a puxar chuva e desata a chover. As temperaturas são amenas, mas aconselho várias camadas de roupa, pois, para além de o clima variar muito ao longo do dia, as subidas aos picos levam a que as temperaturas desçam bastante e muito repentinamente.

Iguarias:
Queijos e Manteigas de São Miguel, Queijadas, Bife Regional, Inhame, Lapas Grelhadas, Cerveja Especial, Kima e Laranjada, Licores do capote, Chás, Bolo Lêvedo, etc.


De recordação, para a minha estante das viagens, trouxe esta "requinha":





PS: Agradeço imenso a todos os Limoneiros que me foram dando dicas de iguarias e restaurantes, sítios a não perder. Vocês ajudaram-me a aproveitar melhor estes três dias e a desfrutar em grande desta ilha maravilhosa. Obrigada a todos.





11 comentários:

  1. Parece que em pouco tempo muito mudou. Os locais que refere com entrada paga, uns meses antes eram gratuitos. Espero que as entradas sirvam para preservar e melhorar os locais.

    ResponderEliminar
  2. Estou cheia de vontade "de Açores". E quando for lá hei-de vir aqui reler as dicas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Be my guest! é para isso que elas aqui estão. :-)

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  3. Muito bom este teu roteiro pela ilha de São Miguel. Com a liberalização das ligações aéreas eu o ano passado fui duas vezes e, este quero ver se vou conhecer outras ilhas. Aqui fica um link para o que eu mais gostei em São Miguel: http://www.dobrarfronteiras.com/23-lugares-nao-perder-ilha-sao-miguel-acores/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Sim, agora fica mais fácil. Vou cuscar o teu link.

      Eliminar
  4. Obrigada pelas dicas. Vou para lá daqui a um mês com família e dará jeito com toda a certeza. Carro é melhor alugar a quem? Os preços são tão díspares. O que sugerem pela vossa experiência. Preciso de um com 5 lugares ( vamos 5 da família todos adultos)....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Irene, nós éramos seis e alugámos uma carrinha de sete lugares para viajarmos todos juntos através da Rent a car Auto Ramalhense. Foi barato e eles foram muito simpáticos. www.autoramalhense.com

      Eliminar

Diz o que te vai na alma