terça-feira, abril 14, 2015

Pelos Caminhos de Portugal #2 - Nazaré

#2 -  Nazaré

As temperaturas sobem e a vontade de passear também. Desta feita lá para os lados da Nazaré, na região Oeste.

Passou a ser conhecida mundialmente desde que Gareth Macnamara surfou o canhão, mas a vila da Nazaré já há muito que merecia uma visita.

A começar pelos restaurantes (muitos e bons) onde as especialidades obviamente se relacionam com o peixe e o marisco, e acabando na simpatia dos locais.

Após algumas pesquisas na net fui parar ao Tasquinha  e digo-vos já que me deliciei com os camarões fritos e com o Arroz de Tamboril.

Depois do almoço, começando por um passeio à beira-mar encontramos as peixeiras e o seu Estendal de Peixe Seco.









De carro ou de funicular, é obrigatória a visita ao Farol da Nazaré inserido no Forte de São Miguel Arcanjo.










No Sítio da Nazaré, pequeno bairro junto ao Farol com comércio e artesanato variado, está a Igreja da Nossa Senhora da Nazaré, a Ermida da Memória e uma vista maravilhosa para a praia. 









Lenda da Nazaré:

Conta a Lenda da Nazaré que ao nascer do dia 14 de setembro de 1182, D. Fuas Roupinhoalcaide do castelo de Porto de Mós, caçava junto ao litoral, envolto por um denso nevoeiro, perto das suas terras, quando avistou um veado que de imediato começou a perseguir. O veado dirigiu-se para o cimo de uma falésia. D. Fuas, no meio do nevoeiro, isolou-se dos seus companheiros. Quando se deu conta de estar no topo da falésia, à beira do precipício, em perigo de morte, reconheceu o local. Estava mesmo ao lado de uma gruta onde se venerava uma imagem de Nossa Senhora com o Menino. Rogou então, em voz alta: Senhora, Valei-me!. De imediato, miraculosamente, o cavalo estacou, fincando as patas no penedo rochoso suspenso sobre o vazio, o Bico do Milagre, salvando-se assim o cavaleiro e a sua montada da morte certa que adviria de uma queda de mais de cem metros. (Fonte Wikipedia)




Para além do Miradouro do Sítio, é possível admirar a vila e a praia no Miradouro da Pederneira  (lado oposto da vila).




Antes do regresso, recomendo um lanche bem calórico no Gelatomania.

E como não podia deixar de ser, comprei mais uma lembrança para a minha estante das viagens:


8 comentários:

  1. Adoro a Nazaré. Passei grande parte dos verões da minha infância lá! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma zona muito gira, a praia é grande e espaçosa. Só tenho as minhas reservas em relação à temperatura da água. Sou menina para meter a pontinha do dedo do pé e virar costas, num dia de verão escaldante. Odeio água gelada!

      Eliminar
  2. Estou a adorar as tuas fotografias :) ai que vontade de conhecer mais <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Francisco. É uma das minhas paixões! :-)

      Eliminar
  3. Gosto muito destas tuas dicas, fico com vontade de conhecer os sítios de que nos falas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que bom! Também é essa ideia. Temos um país lindo e com tanta coisa para ver :-)

      Eliminar
  4. Que saudades tenho eu de Nazaré. As primeiras férias com os amigos foram para lá e depois virou rotina todos os anos no verão iamos para lá. Só de falar penso que aqueles tempos foram muito bons. As gentes da Nazaré que falam a cantar tratavam-nos como dali. E fez-se conhecidos bons. Para não falar dos restaurantes que cheguei a conhecer com as suas comidas. A Tasquinha é sítio obrigatório de paragem.
    Obrigada pela partilha. Fotografias lembraram-me muita coisa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apenas lá estive um dia, mas também senti essa simpatia.

      Eliminar

Diz o que te vai na alma