sexta-feira, junho 05, 2015

Conta Lá Tu o Fim! Desafio #2

Na semana passada iniciámos a Rubrica Conta Lá Tu o Fim! Aqui para quem não viu!

Escrevi um pequeno texto, que se encontra incompleto, e desafiei-vos a inventarem vocês um final. O resultado foi uma história escrita a várias vozes, com enredos inesperados e personagens divertidas, um drama digno de uma novela da TVI, mas com piada!

Hoje tenho um novo desafio:

“Pepe estava ferido e cansado, pedi-lhe que se sentasse e levemente ajudei-o a deitar-se no chão. Passei-lhe as mãos pela face suada, acarinhei-lhe a pele rugosa e áspera. Para mim era bonito. Descalcei-lhe as botas rotas e gastas de tanto andar, tirei-lhe a camisa velha e esburacada para fazer de torniquete. Cheirava a pó, suor e sangue.  Fixei-me no seu olhar e perguntei "o que aconteceu? quem te fez isto?"

1 2 3 agora contem vocês!
Partilhem a vossa sequência, ou o link da sequência publicado no vosso blogue, aqui nos comentários!



10 comentários:

  1. Ui que só fazes desafios difíceis :) Let's do it!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu lá és miúda de recusar um desafio só porque ele é difícil? :-)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. http://smartieteen.blogspot.pt/2015/06/desafio-conta-la-tu-o-fim.html

      Eliminar
    2. Aahaha, muito bom! Vamos lá ver se isto tem continuação. Obrigada

      Eliminar
  3. Não foram precisas palavras. Esse olhar disse o que eu não ouvi, o que eu não quis ouvir. Nesse azul profundo e belo vi a fúria dos céus e do mar, o inferno do deserto e o sal que dói; vi a mão negada de um qualquer deus, a solidão de saber-se de volta; vi o meu próprio passado, fantasma que retorna de mundos tão dolorosos como inconfessáveis. Pepe era tudo isso. E eu sarei as suas feridas, tratei dele como se não fosse meu amante, incrustado para sempre na minha pele. Salvei-o como ele me perdeu, com paixão. Compaixão. Salvei-o, porque vi no seu olhar o espelho da minha memória e da minha culpa. Salvei-o para nunca mais. Depois, pude dormir.



    Beijinho. Cidália

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Wow, fantástico! Adorei Cidália! Bj grande e mil obrigados

      Eliminar
  4. Obrigada, minha querida Susana! Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. “Pepe estava ferido e cansado, pedi-lhe que se sentasse e levemente ajudei-o a deitar-se no chão. Passei-lhe as mãos pela face suada, acarinhei-lhe a pele rugosa e áspera. Para mim era bonito. Descalcei-lhe as botas rotas e gastas de tanto andar, tirei-lhe a camisa velha e esburacada para fazer de torniquete. Cheirava a pó, suor e sangue. Fixei-me no seu olhar e perguntei "o que aconteceu? quem te fez isto?"


    No fundo, depois de tantos anos a minha paixão por ele não tinha esmorecido, ele foi e será sempre o meu Pepe, o meu príncipe, mas como quase tudo na vida, as coisas nunca são aquilo que parecem, quando um príncipe se transforma num sapo niniguém estranha, mas um príncipe que se transforma numa princesa, aqui sim o mundo desaba...
    Mesmo com os labios pintados, a sua pele rugosa e áspera não escondia a sua natureza, a vida não tinha sido fácil para ele, famíla, amigos e colegas, todos lhe viraram as costas, vendo o seu estado, tenho dificuldade em acreditar que quase tinha casado com ele, Nunca soube quem o tinha deixado naqueles preparos, acho que não quero saber, fiz o meu melhor para tratar dele e para permanecer imparcial, mas ao olhar os seus olhos, reconheci aquele homem que tinha o mundo aos seus pés e por quem me tinha apaixonado e apenas consegui perguntar; Porque?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que Twist, Francisco! Muito bom! <3 Obrigada por participares!

      Eliminar

Diz o que te vai na alma