quarta-feira, dezembro 16, 2015

Boteco das Tertúlias ...#4 - O Natal da minha infância




A dia 16 de cada mês juntam-se 5 bloguers numa Tertúlia virtual sobre temas diversos. Este mês como não poderia deixar de ser, o tema é o Natal, nomeadamente o Natal das nossas infâncias. 



O NATAL DA MINHA INFÂNCIA:

O Natal da minha infância tinha cheiro a fritos e canela, a lareira e chocolate.

O Natal da minha infância incluia sapatinhos na chaminé para recebermos os presentes.

A nossa imaginação (minha e dos meus irmãos) era tanta que por vezes entrávamos a porta de casa em silêncio e em bicos de pés com a certeza de que estávamos a ouvir os passos do Pai Natal.

Tinha um presépio enorme, não apenas com a tradicional família, o burro, a vaca, e o musgo, mas com ovelhas, pastores, lavadeiras, igrejas, pontes, lagos, e até patos.

Como todas as famílias havia discussões e desentendimentos, principalmente numa casa com 4 filhos, mas o Natal era tempo de paz, e as birras punham-se para trás das costas, com toda a naturalidade, em virtude daquela magia.

Depois de toda a família estar a dormir, eu e o meu irmão levantávamo-nos da cama para ir à sala ligar as luzes da árvore de Natal e ficarmos ali, sentados no chão, no escuro, a admirar o tal presépio, a imaginar cenários e conversas entre as diversas personagens, sonhando com o que iríamos receber no dia 24.

Não me recordo de nenhum presente que me tenha marcado em particular, a não ser a Minha Agenda, que eu todos os natais via na TV e ansiava que alguém me oferecesse.





Recordo-me mais de momentos, de sorrisos, de união, de uma mesa grande e farta.

Nunca mais me esquecerei de uma reacção maravilhosa do meu irmão, com cerca de seis anos, ao desembrulhar um presente: de mãos juntas, como que em oração, e a olhar para cima (olhando para o céu) disse "Obrigada Menino Jesus, era mesmo isto que eu queria".

E o Natal era isto, não o simplemente receber prendas, mas o acreditar que o Menino Jesus ouvia as nossas preces, e o deliciarmo-nos com coisas simples. Assim era na minha infância...




8 comentários:

  1. Eheh Eu também pedi "A minha agenda" muitas vezes e ainda hoje canto a música quando alguém diz o que queria para o natal. :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol aquela do "pro natal o meu presente eu quero que seja a minha agenda, a minha agenda"

      Eliminar
  2. Espera aí, essa agenda é a da música "A minha agenda, a minha agenda!" é que eu esta música conheço, mas essa agenda não! Adorei o texto, que boas recordações, e a simplicidade do agradecimento do teu irmão pôs-me a rir alto! "Era mesmo isto que eu queria!" :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vai ficar-me gravada no memória para sempre esta reacção!

      Eliminar
  3. Que sortuda, até patos o teu presépio tinha! :) Também achei curioso a tua prenda preferida, uma bela agenda, era já o prenúncio da escritora/blogger em ti.

    ResponderEliminar
  4. Curioso que eu também sonhava com a Minha Agenda. E mais miúda ainda com um boneca tipo barbie, mas que se chamava Tucha. Nunca tive nenhuma das duas...recebia apenas chocolates em forma de ratinhos e pinhas nos sapatos que eram deixados junto à lareira e ao acordar sentia- me a criança mais feliz do mundo!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. esse tipo de chocolates com forma de pinhas e sinos de natal ainda hoje os compro para ter junto à árvore.

      Eliminar

Diz o que te vai na alma