domingo, fevereiro 28, 2016

Estou a torcer por si, Maestro!


Aos 87 anos, o compositor e maestro Ennio Morricone está nomeado para o Óscar de Melhor Banda Sonora Original, pela sua colaboração em The Hateful Eight de Quentin Tarantino.

Conhecido pelas suas composições para os spaghetti westerns de Sergio Leone, a longa carreira de Morricone conta com bandas sonoras incontornáveis de filmes como Era uma vez na América, Nuovo Cinema Paradiso,  A Missão, Os Intocáveis, Lolita, Maléna, Sacanas sem Lei, entre outros.

Longa é a lista de prémios durante a sua carreira, sendo provavelmente o ponto mais alto o ano de 2007 em que recebeu, pelas mãos de Clint Eastwood, o Óscar Honorário pelas magníficas e multifacetadas contribuições para o cinema.

Em Setembro passado tive direito a uma noite mágica na Arena de Verona, em Itália. Tive o enorme privilégio de assistir ao vivo e a cores a um concerto de Ennio Morricone, de arrepiar e de ir às lágrimas do príncípio ao fim.  Um desejo cumprido, um sonho realizado!  Nessa noite fui feliz.






As luzes e as câmaras nos óscares deste ano incidem todas em Leonardo di Caprio, à espera que este seja o ano do Leo.  Eu sinceramente estou mesmo a torcer é por si, maestro! O Globo de Ouro não chega.




Ecstasy of Gold, que também é utilizado pela banda Metallica para a abertura dos seus concertos.



(A banda sonora de The Hateful Eight está já disponível no Spotify)

sábado, fevereiro 27, 2016

Cá em casa somos 4!



"Um lar não tem que ser uma casa e uma família não tem de ser de sangue."

Recentemente li um desabafo de um casal amigo que vai a caminho do 4º filho. Sim, o quarto. Os 4 filhos são filhos dela e apenas 2 são dele. Os dois primeiros são fruto de uma relação anterior.

Feliz da vida, o meu amigo anuncia, via facebook a familiares e amigos, que o 4º filho vem a caminho. Apesar da onda de carinho e desejos de muitas felicidades da maioria dos amigos, houve quem questionasse o porquê de ele anunciar o 4º filho, quando ainda só era pai de um, e do bébé que vinha a caminho.

Houve quem não entendesse como se fala em quatro filhos quando só se é pai de dois. Há quem ache que os outros dois não são filhos, há quem sinta inclusivamente como uma traição aos nossos filhos verdadeiros, quando dizemos que os outros também são nossos filhos.

Também eu já fui criticada por falar nos meus filhos no plural, quando só dei à luz uma vez na vida.

Sim, tenho um "filho emprestado". Sou Madrasta, como já AQUI foi referido neste blogue, e nem sempre tudo foi um mar de rosas. Não é amor de mãe à primeira vista, confesso.  Não basta eles serem filhos da pessoa que amamos para haver de imediato aquele click, como que por magia.

É antes um amor que vai crescendo com o dia-a-dia, entre birras, amuos e ralhetes, sorrisos e gargalhadas, desilusões e conquistas.

Não é fácil gerir uma relação com uma criança que ainda imagina os seus pais juntos, não é fácil fazer crescer amor onde não há laços de sangue. Quer queiramos quer não, é uma relação forçada e que só existe porque eu e o pai estamos juntos.

Dá trabalho, é um desenvolver de afinidades, é um constante conhecimento daquilo que a criança gosta e não gosta, é um estabelecer de limites dessa relação e um libertar de emoções com o convívio diário.

Os anos passam, o amor aumenta e tu dás por ti a desejar àquela criança tudo de bom como desejas para os teus filhos biológicos. E ele começa a ser um bocadinho teu a cada dia que passa.

Nem todas as madrastas são bruxas-más, assim como nem todas as mães o sabem ser.

Há mães que se esquecem que têm filhos, há mães que se divorciam dos filhos no exacto segundo em que divorciaram dos pais, há mães que apesar de casadas não perdem 5 minutos do seu tempo a brincar no chão com eles, há mães que não sabem ser mães e que acham que o são só porque deram à luz,  há mães que não sabem nada acerca dos seus filhos (quem é o seu melhor amigo, qual a sua cor ou comida preferida, de que artista é que ele é fã, nem sequer o estado de humor com que acorda às sete da manhã),  há mães que nunca estudaram para um teste com um filho apesar da dislexia de que padece. Mas há madrastas que o fazem!

Quando dás por ti, já passarem 8 anos e é contigo que ele desabafa, é a ti que ele pede "não contes ao pai".

Quando dás por ti, pensas no que farias da tua vida se acontecesse alguma coisa ao pai e te visses sozinha com essa criança. Irias devolvê-lo à mãe só porque é ela a mãe? Dás por ti a achar que, apesar da mãe existir, gostarias que ele continuasse a viver contigo, se também fosse esse o desejo dele.

Cá em casa somos 4!
Quem me conhece, quem me ama e me respeita sabe disso.


Sweet 40


Já não tenho paciência para roupas justas e sapatos apertados. Hoje em dia só visto roupas que me deixem confortável.

Com as amizades é igual. Já só guardo as que me fazem bem, o resto dou a quem mais precisar.


#Sweet40 #LimonadaDaVida #amizade



Desculpas...

-Não vou treinar. Está muito frio e a chover imenso!

(Graças a Deus que os ginásios têm paredes e tectos...)



O mundo precisa de pessoas assim... #3 Chris from Starbucks

Sam é autista e o seu sonho era trabalhar na Starbucks.

Onde uns veem impedimento Chris viu mais-valia e a realização de um sonho, e por isso convidou Sam para trabalhar. 

Chris ganhou um funcionário dedicado e motivado que se tornou no melhor empregado da loja. 
Sam ganhou um sorriso através desta oportunidade.

O mundo precisa de pessoas assim. You go Chris from Starbucks!








‪#‎LimonadaDaVida‬
‪#‎autism‬ ‪#‎starbucks‬ ‪#‎dreamscometrue‬ ‪#‎believe‬ ‪#‎ellendegeneres‬‪ #‎bekindtooneanother‬

sexta-feira, fevereiro 26, 2016

Caganças...


-Sou Maria Duarte. Muito prazer em conhecê-lo.
-Dr. Paulo Freitas, igualmente.

Acho o máximo quando as pessoas se chamam doutores!

Doutores são os médicos, pá!

#nascestedoutor
#limonadadavida

quinta-feira, fevereiro 25, 2016

O meu ginásio é melhor que o teu!


Sou praticante de Step há mais de 12 anos, sempre no mesmo ginásio.
Mantenho-me fiel ao ginásio, mas também ao instrutor. À primeira vista parece um mero clube de ténis, mas é um espaço incrível no centro de Lisboa, com piscina, restaurante, sauna, etc onde reinam a amizade, o ar puro, o ritmo e a boa disposição.

Ora espreitem lá o vídeo!
A Limonada anda por lá :-)






Já pensaste em doar o teu corpo à ciência?

A Exposição Real Bodies, disponível na Cordoaria Nacional em Belém apenas até 10 de Abril, é uma incrível viagem pelo grande milagre que é o nosso corpo.

Desde o estudo da anatomia nos tempos do génio Leonardo da Vinci até aos dias de hoje, esta exposição apresenta-nos o corpo humano como nunca o vimos, pelo menos nós, comuns mortais, que não somos médicos e não realizamos autópsias.

Desengane-se quem ache que, por ser composta na sua grande maioria por cadáveres reais, a exposição é chocante ou mórbida. Pelo contrário, é fascinante ver o corpo humano ao vivo e explicado ao pormenor.

Ganhamos a percepção de que o nosso corpo é efectivamente uma máquina perfeita, pensada ao milímetro, mas que precisa que tratemos dela, sendo o desporto um contributo importante.

No final da exposição, discretamente deixada em cima de um palanque, está a Informação Para as Pessoas que Desejam Doar o Seu Corpo para a Ciência. Dei por mim a querer saber mais. Trouxe o papel comigo.

Os progressos científicos e a descoberta de cura das doenças não se conseguem sozinhos nem por obra do Espírito Santo. Exigem um estudo minucioso do cadáver humano. Para tal, é necessário que existam indivíduos que doem o seu corpo ao ensino e à investigação.  A doação deve ser feita oficialmente, mediante o preenchimento de um formulário específico.



Para além de um acto cívico louvável, o desejo de contribuir para a Ciência Médica é igualmente uma interessante forma de nos perpetuarmos. Com maior préstimo do que entregar o nosso corpo aos bichinhos da terra. Ninguém gosta de pensar nestas coisas, mas digam lá se não é verdade.












quarta-feira, fevereiro 24, 2016

Cenas que me lembro #8



Quando um casal se separa...
quem fica com a Bimby? 







Há coisas insubstituíveis


Aquela peça de roupa que usamos desenfreadamente 
mesmo mesmo mesmo até esgaçar! 

E quando finalmente rasga, o que nós não faríamos para encontrar outra igual! 

O par de calças de ganga que usámos algumas 457 vezes 
porque é o tal que nos assenta bem, 
aquela camisa branca tão velhinha, a camisola preta 
que dá com tudo...

#sermulher

terça-feira, fevereiro 23, 2016

Gosto de...






Eu diria:
Gosto de dizer Obrigada
Gosto de dizer Gosto de ti
Gosto de pedir Se faz favor 
Gosto de perguntar Queres ajuda?
E às vezes, Gosto de concluir Safoda!












Gente que me irrita #11 (os à-vontadinha)


Pessoal que ocupa um posto de abastecimento
 numa estação de serviço,
 para ir lá dentro tomar um cafezinho.

O posto de abastecimento, tal como o próprio nome indica, 
é para abastecer, ok? 

quinta-feira, fevereiro 18, 2016

Como vai o teu inglês?


Can you pronounce correctly 

every word in this 

poem?







 “The Chaos” by Gerard Nolst Trenité, written nearly 100 years ago in 1922, 
designed to demonstrate the irregularity of English 
spelling and pronunciation.

Fonte: The Poke

quarta-feira, fevereiro 17, 2016

Boteco das Tertúlias ... #6 (Dia de são valentim)


Se amar é bom, imagina ser amado por esse alguém!

Amar e ser amado é um luxo, é uma sorte do catano, minha gente.
Amar e ser amado é provavelmente a condição mais fundamental da vida humana, mas igualmente a mais ignorada, porque muitas vezes vista como uma coisa banal, porque a tomamos como condição garantida.

E depois lemos notícias destas:





ou interessamo-nos um pouco mais acerca da história da senhora que se atirou à água em Caxias, com o intuito de se suicidar e de levar consigo ambas as filhas, e pensamos que se calhar o "amar e ser amado" não é assim tão líquido. O amor não está garantido a priori só porque duas pessoas se casam ou têm filhos em comum.

Quando o "amar e ser amado" acontece dá-se um pequeno-grande milagre.  Há por isso que o celebrar na sua plenitude!

"Não se vive só de amor e uma cabana" dirão uns, "o dinheiro também traz felicidade e a realização profissional é um pilar do nosso bem-estar" dirão outros, "a minha realização pessoal só depende de mim e de mais ninguém" poderão acrescentar. Sem dúvida, que em primeiro lugar estamos sempre nós. Para amar alguém temos de nos amar a nós próprios, não há volta a dar. Mas o que é feito de todas as nossas conquistas sem a partilha com o outro?

Como diz a minha querida Contadora de Estórias relativamente a esta coisa de celebrar o Dia de São Valentim há sempre  "as duas faces de uma mesma moeda: por um lado o sentimentalismo intrínseco à data em questão, as mensagens cliché cheias de boa vontade e a crença de que, neste dia, tudo é luminoso e puro.  Por outro, lá vem a torrente de mal-dizer, de apregoar aos quatro cantos a inutilidade de tal data".

Mas bolas, se festejamos em gesto de homenagem e em sinal de respeito os "dias de... " dedicados a doenças (Dia Mundial da Luta contra o Cancro), tragédias (Dia Munidial em Memória das Vítimas da Estrada) e outras coisas más, porque não haveremos de celebrar as coisas boas, porque não festejar o Amor em todo o seu esplendor?

Porque é piroso? Não me lixem!





O Boteco das Tertúlias é uma rubrica online com as bloggers:
Contador dEstórias
Espressoandstroopwafel
Lifestextures

A nossa querida ByCatarina estará ausente por tempo indeterminado, mas esperamos que se junte a nós novamente dentro em breve.


quinta-feira, fevereiro 11, 2016

Limonada da Vida #26


Quando uma ideia tua é finalmente posta em prática ao fim de meses de reuniões, discussões, orçamentos, críticas e obstáculos! 

Isto é Limonada da Vida! 



Gente que me irrita # 10 (os Sádicos)


Pessoal que segue e comenta avidamente os grupos 
com milagrosas dicas para Emagrecer,
mas que depois passam a vida a publicar receitas 
de tortas de coco com caramelo
ou bolos de chocolate com natas e morangos.


Vocês gostam de se torturar
ou 
estão no grupo só para conhecer gente gira e magra?



#AmanhãFaçoDieta

quarta-feira, fevereiro 10, 2016

Limonada da Vida #25

Regressar ao Treino!
O regresso ao treino após uma paragem forçada.


São mais de 12 anos nesta modalidade cerca de 3 vezes por semana. Mais do que exercitar o corpo faz-me bem à alma, mais do uma rotina é um vício, mais do que um escape é divertimento, mais do que o companheirismo dos colegas e professor tenho amizade e carinho. É bom demais para eu passar sem isto!

Graças a uma lombalgia aguda, fui forçada a parar os meus treinos. Hoje finalmente voltei a bombar no meu step como se não houvesse amanhã. E que saudades eu tinha desta sensação!

Dadas as circunstâncias e os antecendentes de contracturas e afins, tenho de reforçar o aquecimento antes do treino e os alongamentos no fim, sob pena de as costas piorarem e eu ter de voltar a parar. Mas antes isso do que parar de vez!

Obrigada Gonçalo Pinheiro por me manteres neste vício ao fim de tantos anos, mesmo quando estou cheia de trabalho e não dá jeito ir, quando está frio e não apetece sair de casa, quando o estado de espírito não está para aí virado ou nas fases em que a vida não nos sorri! Saio sempre das tuas aulas melhor do que quando entrei. És grande, rapaz!






terça-feira, fevereiro 09, 2016

Desafio: Uma Paixão chamada livros


Fui nomeada pela autora do  Que não sei quê  para listar 5 livros que gosto.
Escolho 3 clássicos e 2 contemporâneos.


Crime and Punishment - Dostoyevsky
Um livro que me ensinou que não há pior castigo do que a nossa consciência e o ter de "sobreviver" com as consequências dos nossos actos.




Frankenstein - Mary Shelly
Creio que o cinema nunca fez justiça a esta obra-prima. Muito mais do que uma história de monstros esta é uma história sobre a relação de dependência entre Criatura e Criador.
Mais do que debater sobre a ética, mais do que revelar o Homem enquanto imitador de Deus e as possíveis consequências devastadoras da descoberta científica, é uma história que me fez pensar na enorme responsabilidade de dar vida a alguém.




Wuthering Heights - Emily Bronte
Nunca na vida li um amor tão arrebatador e ao mesmo tempo tão destrutivo quanto o de Catherine e Heathcliff. Uma avassaladora história de amor, ciúme e vingança.




O Caçador do Verão - Hugo Gonçalves
Um relato de memórias de infância e adolescência que enternecem quem teve a felicidade de crescer nos anos 80.





Kafka à beira mar- Haruki Murakami
Ainda estou a ler, mas como estou a gostar do que já, e pela experiência que tive com o "Sputnik meu amor", creio que vale a pena deixar aqui referenciado.




Nomeio os seguintes blogues para o mesmo Desafio:


Divirtam-se!



Viagens da Limonada ... #9 Martinique (Caraíbas)

Carnaval em Martinique:

A viagem já foi em 2010, um cruzeiro com início em Santo Domingo (República Dominicana) com passagem pela praias de sonho de St. Lucia, Martinique, Guadaloupe, St. Maarten e Virgin Gorda.

Teria milhentas fotografias para partilhar convosco sobre este cruzeiro, mas isso ficará para outro post.

Hoje quero apenas mostrar-vos um pedacinho do Carnaval em Martinique, mas especificamente na capital Fort-de-France.

Martinique: 
Terra de praias magníficas, Rum e Carnaval!
Have fun!






















#limonadadavida #martinique

domingo, fevereiro 07, 2016

Onde é que eu falhei?!



A passear na Av. Marginal neste lindo domingo de sol, digo eu para o meu Timteen de 15 anos:
-  Larga o telemóvel, Tim! Está um maravilhoso dia de sol. Olha a paisagem, olha o mar. Bolas, em vez de andares a ver as miúdas giras que passam na rua e mandares uns piropos, passas o dia agarrado ao telemóvel! Parece impossível! 

Ele: o que é um piropo? 

Onde é que eu falhei? Digam-me!

ps: mães de meninos, para eu não me sentir tão mal, perguntem aos vossos ternagers se sabem o que é um piropo!

sexta-feira, fevereiro 05, 2016

Aquele momento em que ... #5 / Amor é ... #8


Aquele momento em que ele nos diz: 

"Quero ir ver um concerto desta banda. Escolhe tu o país, a cidade e a data!"

E ainda faltam 9 dias para o dia dos namorados.
Daqui por uns dias já vos revelo o que escolhi!

quinta-feira, fevereiro 04, 2016

Vantagem de ter filhos adolescentes:


Limonada: recebi um mail da escola a dizer que sexta-feira há baile de máscaras ...

Smartieteen: Hum... e tu achas que eu vou? Já não tenho idade para me mascarar.

Limonada: Então mas tu gostavas tanto de te mascarar quando eras pequenina...

Smartieteen: Era pequenina, já não sou!

Limonada: Mas os adultos também se mascaram, não são só as crianças.

Smartieteen: Sim, mas esses gostam de fazer figura de parvos.

(...)

Limonada: Ainda bem que dizes isso. Não tinha tempo para te levar à festa mesmo!



#sermae #adolescência #carnaval



Gente que me irrita ... #9 (os castradores)

Os castradores são os que não fazem, não deixam fazer e ainda desmotivam quem faz. 
São os que, em vez de se unirem na mudança, só complicam e criam obstáculos, levantam questões a tudo e cujo discurso é na base do "isso não se pode fazer". 
Muitas vezes empatam-nos com um "temos de ver se é possível fazer" e depois não fazem nada, nem sequer experimentam. 
Não gosto de gente assim!

Gosto de fazedores! 
Gosto de quem faz acontecer! 

#gentequemeirrita

quarta-feira, fevereiro 03, 2016

Gente que me irrita... #8 (as solitárias)

Aquelas pessoas
 (normalmente gajas, particularmente gajas, ou melhor 
só gajas porque nunca vi um homem fazer isto) 
que dizem mal de outras gajas, 
mas que preferem continuar a almoçar/jantar/conviver umas com as outras
com medo de ficarem sozinhas!

Faz amigos novos, porra! Somos 7 mil milhões de gente!

 #gentequemeirrita



terça-feira, fevereiro 02, 2016

Devia ter ido para professora!

A minha Smartieteen é uma miúda de muito trabalho, responsável, estudiosa, aluna de Quadro de Honra há 5 anos consecutivos. Nunca precisei de a mandar estudar.

De há uns tempos para cá anda com algumas dificuldades a história. No último teste teve qualquer coisa como um 57% , o que lhe valeu um 3 no final do 1º período.

A Smartieteen ficou tristíssima e desolada: "Como é que eu vou chegar ao quadro de honra este ano? Passei mais de uma semana a preparar-me para este teste. Não fiz mais nada no fim-de-semana anterior do que estudar para este teste, não sei mais o que fazer. Sabia aquilo tudo de cor e salteado, escrevi tudo o que sabia e mesmo assim a professora avaliou incompleto em quase todas as perguntas. Não sei o que ela quer mais!"

Antes que a miúda entrasse em parafuso, respondi-lhe: 
- "Olha minha menina, em primeiro lugar estou-me a borrifar para o quadro de honra! Isso mesmo! foi isso que tu ouviste! Se é para ficares nesse estado, não quero saber do quadro de honra para nada. O Quadro de Honra é um prémio para te trazer alegrias e te lembrar do teu mérito, não é para ser uma meta a atingir à lei da bala e à custa de muito sacrifício, sangue, suor e lágrimas.

Segundo, não quero que continues a estudar que nem uma maluca. Tu tens vida sabias? Tens 15 anos! Há vida para além da escola! Aos fins-de-semana é para teres tempo para a família, para os amigos, para ir a um concerto ou ao cinema. Não te quero fechada no quarto a estudar o fds inteiro. Estamos entendidas?

Terceiro, não é o "empinar" a matéria, depositá-la no teste e esquecê-la no dia seguinte que vai fazer de ti uma mulher culta e inteligente. Quero que percebas aquilo que estás a estudar. Quero que entendas de que forma aquilo que se passou na história da humanidade foi pertinente para aquilo que estamos a viver hoje em dia. Quero que chegues à conclusão que é fundamental reconhecer os erros que se cometeram no passado para que nunca mais os possamos repetir. Quero fundamentalmente que entendas de que forma é que aquilo estás a aprender na escola contribui para a tua felicidade. Quero que a matéria fique como cultura geral, que te estruture e te prepare para o futuro. 

Quarto, as perguntas estão lá para tu responderes ao que te é perguntado e não para debitares tudo o que decoraste, respondendo a três perguntas de uma só vez. Está a ser avaliada pela tua interpretação das perguntas, compreensão da matéria e capacidade de síntese nas respostas. 

O segredo não está em passar ainda mais tempo a estudar, mas em mudar a tua forma de estudar. Queres experimentar?"

Estudámos juntas para o teste seguinte: Pós 1ª Guerra Mundial, Revolução Russa, Comunismo, Anos 20 nos EUA. Matéria engraçada e com tanto para aprender, não "decorar", aprender, compreender, tirar ilacções, tanto terreno para desbravar, tanto para falar...

A Smartieteen mandou-me esta manhã uma mensagem cheia de smiles e pontos de exclamação dizendo que teve 80% no teste de história.

Fiquei feliz não propriamente pela nota, mas por ela ter finalmente chegado à conclusão que a disciplina de história não é uma seca nem um bicho de sete cabeças. 

Fiquei orgulhosa dela, e de mim confesso. Não devemos carregar nos filhos o peso, o drama de terem de ser os melhores, de atingirem objectivos seja de que forma e por que meios for. Felizmente, nunca precisei de o fazer, pois a minha Smartieteen tem responsabilidade, preciosismo e perfeccionismo que chegue, de sobra e que transborda! Pelo contrário, no meu papel de mãe descobri que por vezes também é preciso desdramatizar e ensiná-los a encontrar outros caminhos. 

Orgulho de a ter feito entender que há valores mais altos do que os resultados escolares: a sua sanidade mental e a sua felicidade!


Bolas, devia ter ido para professora!   É isto que os professores fazem, não é?