sexta-feira, agosto 18, 2017

Barcelona há dez anos, há um mês, hoje e sempre!

Barcelona, foi a nossa primeira viagem juntos, e talvez por isso foi uma cidade memorável para nós.
Cativou-me a sua energia vibrante, a história, a expressão cultural, e o facto de ter Praia, o que para mim é fundamental.
Cidade de futebol bonito que tive o prazer de assistir no mítico Camp Nou, cidade tão bem cantada por Freddie Mercury e Montserrat Caballé.
Desde que a conheci, sempre disse que Barcelona seria a minha segunda opção para viver, se algum dia deixasse Lisboa.
Aqueles dias que passámos em Barcelona, foram dos momentos mais bonitos da minha vida. Depois disso, fizémos planos para voltar, mas nunca calhou.
Há cerca de um mês, dez anos depois dessa primeira viagem, regressámos a Barcelona com os nossos filhos e também eles se encantaram. Foi no Porto de Barcelona que apanhámos o cruzeiro destas férias.
Percorremos as Ramblas de alto a baixo, de fio a pavio. Lembrei-me por momentos, enquanto lá estava, que aquele imenso mar de gente seria um alvo fácil para uma espécie de atentado semelhante aos que a Europa tem assistido, mas fiz questão de afastar rapidamente tais pensamentos, para não me assustar a mim nem aos miúdos.
É de facto assustador pensar que já não há cidades seguras, de que pode acontecer a qualquer um de nós. E foi isso que senti naquele dia em que percorríamos desde a Praça da Catalunha em direcção à estátua de Colombo.
Já no cruzeiro, uns dias depois, parámos em Roma, carregadinha de soldados de arma em punho, e mais uma vez o pensamento estranho de que podia ser aqui e agora.
Dias mais tarde, visitámos Nice, e verificámos que a Promenade des Anglais está a sofrer alterações, criando-se obstáculos para evitar que se repita o cenário do dia 14 de Julho.
Ao ouvir a notícia lamentável de hoje, tive um arrepio na espinha, uma sensação de dejá vu, e bateu-me uma tristeza imensa.
Deixo a minha enorme solidariedade e compaixão pelas pessoas indefesas que foram vítimas deste acto hediondo.
Recuso-me, no entanto, a deixar de viver, deixar de viajar, deixar de ter outros tantos momentos fantásticos na minha vida com medo do que possa acontecer.
Barcelona há dez anos, há um mês, hoje e sempre!



segunda-feira, agosto 07, 2017

BIPOLARIDADES

BIPOLARIDADES:
Quando vais aos saldos e pensas sozinha para os teus botões:
- Bolas, mesmo com 50% isto está pela hora da morte. Deus queira que já não haja o meu tamanho.Deus queira que não me sirva, deus queira que não me sirva.
(após uns minutos)
- Serve. E agora?! Levo ou não levo? É que me fica bem à brava. E está com 50%. Agora é que dava jeito eu estar gorda... Não quero saber, vou levar. Se me serve e ainda aqui está com este descontão é porque está destinado a ser meu.
- Ou talvez não. Com este preço comprava dois pares de calças, que também me fazem falta.
- Que se lixe, vou levar! Assim como assim as calças só me vão fazer falta no inverno. E isto dava para usar agora.
- Sim, mas o verão está a acabar...
- E então? Uma coisa não invalida a outra. Para além disso, recebi subsídio de férias e eu mereço, pá! Compra isso! Compra, compra, compra!
- Ok, ok! Vou levar, mas só porque tu (eu) insististe. Tocaste no meu ponto fraco: Eu mereço!